terça-feira, fevereiro 21, 2006

Ainda furiosa
Magoada pela tua ausência
Não te amo, sei que não
Se amar, não quero saber…
Tenho paixão…
Sede de ti
Tua voz
Teu olhar
Tuas mãos…
Demoras a chegar a mim
Mas o meu corpo grava-te na minha pele
E alimenta-se quando não estás

Ainda furiosa
Não é amor
É paixão…
Não te quero amar, e não te amo
Mas deixei-me apaixonar por ti
Maldito sejas…
O gelo que prometeste no meu corpo
Os beijos suspensos durante dias
O meu corpo violentamente contra o teu
Vem saciar o meu desejo
Vem possuir-me
Vem dilacerar a dor da espera
Traz-me a dor do prazer

10 Comentários:

Blogger online disse...

Eu é que estou mandão:))
Tá bem...

Parece uma resposta ao meu post:))
Forte, decidida, e deslumbrante nas palavras e nas fotos que escolhes:)

3:42 da tarde  
Blogger Paixão disse...

Mau feitio...é o que mais dizem:)

Resposta?
Só se o teu post fosse para mim:)

4:16 da tarde  
Blogger online disse...

Por acaso não...
Mas vou pensar num para ti!
Dedicado à paixão:))
Tá prometido

4:35 da tarde  
Blogger Sol disse...

Diversas sensações aqui escritas...
Cada uma interlaçada na outra, ao mesmo tempo cada uma por si...
Ainda furiosa...
Tal como a vida, nem sempre mata a sede.

;)beijinho

4:58 da tarde  
Blogger Paixão disse...

Sol
já tinha saudades da tua luz neste meu espaçito:)
Tens razão. Muitas sensações...

beijinhos:)

5:01 da tarde  
Blogger online disse...

O beijo no post de baixo? +-

6:13 da tarde  
Blogger Ana disse...

Adorei o poema! Aplica-se a um história minha, todo o desejo acumulado às vezes deixa-me possessa porque não posso acalmá-lo!!!

6:16 da tarde  
Blogger Paixão disse...

Ana
enfim...percebes-me, não é:)

6:35 da tarde  
Blogger Paixão disse...

Online

Não é bem assim:)
Há uma reacção que...só experimentando saberás:))

6:37 da tarde  
Blogger Maria disse...

Por vezes também penso assim.
Beijos

7:41 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial