quinta-feira, junho 28, 2007

A vontade para escrever ainda não está no ponto. Mas já é suficiente para me fazer rever textos antigos. Aqui fica um escrito quando vivia na minha saudosa lisboa. Uma fantasia ainda por realizar... um estranho.


Incógnito…

Sexta-feira à noite… borga com as amigas! E esta não iria ser diferente. Os preparos começaram com um banho quente mas rápido para não perder a energia, creme de corpo e perfume igual. Rumo ao quarto para a escolha da roupinha… hoje não me apetece sair de calças de ganga como é meu costume. Hoje sinto-me vamp e vou-me preparar como tal. Lingerie preta… meias de liga… botas pretas de salto agulha e cano alto… saia preta justa com um toque flamenco… top preto com um lindo decote… Depois de mais uns detalhes, estou pronta!
Jantar animado com vinho tinto e conversas femininas… Bairro Alto e quando a lua já vai alta… Lux. Piso inferior, bar debaixo do Dj para mais uma bebida. Estou inclinada no balcão a balançar as ancas e distraída a sentir o fio dental, quando sinto um tesão pressionado no meu rabo. Parei mas não me afastei. Sinto o dono daquele caralho duro a empurrar-me contra o balcão e vem encostar-se ao meu ouvido dizer-me… Não devias ser assim, fica difícil alguém resistir… Então não resistas, disse eu, sem me virar. Naquele preciso momento, decidi que aquele gajo me iria comer se eu continuasse sem o ver, o que eu precisava dele já ali estava contra mim, de costas, sem saber a quem pertencia. Durante algum tempo ficamos calados em jogos de empurra e afasta, além disso, tinha de terminar a minha bebida. Sabia que não iria aguentar muito mais tempo sem ter aquele tesão dentro de mim. Estava de tal modo molhada que, mais um pouco e escorreria pelas minhas coxas. Encostei-me no peito dele (só aí me intoxiquei com um perfume inebriante, adoro perfume de homem), e perguntei-lhe: só sabes fazer isso ou vou ter direito a algo mais? Instantaneamente, sinto um braço a envolver-me a cintura e a levar-me para a zona dos lavabos. Deixei-me ir…com um sorriso estampado nos lábios. Entramos na casa de banho masculina, e directamente para uma das privadas. Fez-me debruçar ligeiramente, puxou-me a saia para cima, afastou o meu fio dental e entrou em mim de uma só vez. Como soube bem, aquele caralho grosso e duro quase a levantar-me do chão com a sua força! Fodeu-me bem… Fodeu-me muito… Fez-me vir duas vezes enquanto entrava dentro de mim e me apalpava e me apertava e me puxava contra ele. Continuava sem o ver, já tinha as minhas pernas a tremer dos orgasmos e ele ainda duro, ainda insistente. Entretanto parou. Ouvi-o a dizer… Quero-me vir a sugar a tua língua. Fechei os olhos, inclinei a cabeça para trás e disse-lhe, vem-te! Sinto mais uma vez as suas mãos a puxarem a minha anca para ele se enterrar bem fundo e com dois gemidos e línguas coladas, ele veio-se… quente, dentro de mim. Algo que não sei quanto tempo durou… mas que pareceu parar qualquer relógio que ousasse trazer o futuro. Lentamente ele afastou-se e segredou-me ao ouvido… Que demónio… próxima sexta… mesmo balcão… e desta vez esquece as cuecas em casa… Deu-me um longo beijo na face e foi-se embora. Fiquei por uns momentos a senti-lo a escorrer pelas minhas coxas, misturado em mim. Limpei-me, saí, soltei um beijo para os rapazes que lá estavam, e voltei para a pista de dança…

4 Comentários:

Blogger Francisco del Mundo disse...

Humm.. Um quase estranho... Memórias... Subterrâneos...:)
Beijo

PS- Bom ter a menina de volta...

4:50 da tarde  
Blogger libertynus disse...

tss e fizeste isso tudo...que descaramento hihihi

12:24 da manhã  
Blogger Mulher de vinte e mts disse...

Pq é que o desconhecido nos atrai tanto??
Tenho uma fantasia bem parecida ... ;)

Beijo

Alice

1:24 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Que excitante...............

8:55 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial